Sindsemp fiscaliza protocolo sanitários nas escolas municipais de Petrolina

Nesta segunda-feira (20), a diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Petrolina retomou  a fiscalização nas escolas do município que retornaram às aulas presenciais neste semestre.
O Sindicato visitou  a Escola Miguel Arraes,  no bairro Henrique Leite.   Dos mais de 280 alunos matriculados, 160 estão frequentando as aulas. 
"Nós colocamos no máximo 18 alunos por sala para garantir o distanciamento. Na hora da merenda, uma turma por vez lava as mãos, pega o lanche e faz a refeição na sala de aula," explicou  a coordenadora pedagógica, Joana Araújo.

Malba Zahara Cunha Lacerda, professora do município há 10 anos,  está na sala de aula nesse retorno."Eu me sinto segura de voltar à sala de aula. Estamos atentos a todos os protocolos para nossa segurança e a dos alunos," ressaltou Malba.

"Toda a rede municipal de ensino vem se preparando há meses para esse retorno. Todos as salas e o administrativo tem tapete sanitarizante, dispenser com álcool em gel, cada aluno recebeu máscaras e garrafas para água para evitar compartilhamento de copos. A fiscalização do sindicato é interessante porque vocês podem atestar que estamos cumprimento as exigências do Ministério da Saúde," destacou o gestor da Escola Miguel Arraes, Carlos Odair da Luz Sá.

O presidente do Sindsemp, Walber Lins, acompanhado dos diretores Edson Santos, Luciedna Batista e Elizete Souza, visitaram as salas de aula e toda a parte administrativa da escola. 

Além da Escola Miguel Arraes, o Sindsemp fiscalizou também a Escola Municipal Mãe Vitória, no bairro Jatobá. Dos 209 alunos,  153 estão na modalidade presencial com rodízio de 70 A cada semana. A média é 12 alunos do 6o ao 9o anos por sala.

"Nós queremos garantir que os protocolos sejam cumpridos pela preservação da vida.É isso que nós temos enquanto atribuição do sindicato, a garantia de que o servidor e a servidora tenha sua condição de trabalho resguardada", explicou o presidente Walber Lins.
 
Assessoria de Comunicação do Sindsemp