SINDSEMP, GASP e Secretarias de Segurança e Defesa Cidadã e Gestão Administrativa debatem melhorias para a categoria

Um momento de diálogo e esclarecimentos sobre assuntos referentes às demandas dos Agentes de Segurança Patrimonial de Petrolina foi o resultado da reunião desta sexta-feira (13), com diretores do SINDSEMP, representantes do GASP e o secretário de Segurança e Defesa Cidadã, José Silvestre.O sindicato reforçou o pedido de celeridade nas solicitações do GASP, que se referem às questões estruturais, a exemplo de fardamentos, transporte, espaço físico, entre outros.

O Secretário de Segurança e Defesa Cidadã, José Silvestre, diz entender que tanto o Sindicato quanto a Gestão Municipal estão focadas no mesmo objetivo que é atender as necessidades do funcionário público, assim como da administração, chegando num denominador comum. “O resultado prático disso é que a gente conseguiu delinear o caminho a ser seguido e demonstrar que não está vindo da administração, nada para prejudicar o funcionário, pelo contrário, a nossa busca é de valorizar, no entanto, a gente tem que falar de valorizar com legalidade, e de atender as necessidades da administração pública, da prestação um serviço de qualidade, e dentro da legalidade, as vezes a gente não pode também abrir um leque muito grande, porque se não nós poderíamos responder por improbidade administrativa, então, vejo isso como muito bom. Vejo o sindicato defendendo, o que é um papel excelente, a situação do servidor, e vejo a administração tentando buscar um ajuste que atenda a todas as necessidades”, assegura.

O Presidente da Associação dos Agentes de Segurança Patrimonial de Petrolina (AASPP), Milton José Amorim, comenta pontos da discussão e avalia a reunião como importante para o processo de conquistas. “Nós ouvimos os secretários sobre algumas reivindicações nossas, algumas de discussões longas, mas a gente vem tentando avançar. No requisito fardamento, que a gente vem brigando há muito tempo, até que ele tem construídas algumas propostas, inclusive de um período próximo, pra gente já tá recebendo, e quanto a outras reivindicações, a gente ouviu muitos questionamentos das partes, mas não houve muito avanço. A gente tá buscando ainda a questão do que foi prometido em relação a um possível projeto, o qual circulam algumas conversas em bastidores, mas que ainda não tem nenhuma informação concreta de que este projeto estaria pronto, ou que tão pouco fosse pra Câmara pra ser apreciado e tão pouco fosse votado. Segundo o secretário, ainda não tem data, não tem ainda um projeto pronto pra seguir à diante”, lamenta.